“Dificilmente o Banese perderá negócios por conta das suas taxas”, anunciou o presidente do banco, Helom Oliveira, ao destacar em live da ASEOPP o programa de recuperação da atividade econômica anunciado pelo governador
As novas linhas de financiamento comerciais e imobiliários do Banco do Estado de Sergipe – Banese, foram apresentadas em evento online realizado nesta sexta-feira, 02, para os associados da Associação Sergipana dos Empresários de Obras Públicas e Privadas – ASEOPP, com a participação do presidente do banco, Helom Oliveira da Silva e da diretora de crédito e serviços, Olga Maria Carvalhaes.
Ao abrir a reunião, o presidente da ASEOPP, Luciano Barreto, destacou que é importante neste momento o Banese mesclar o talento de Helom, com a experiência de Olga Maria, que personifica o próprio banco. Luciano lembrou que o banco sobreviveu a todas as grandes tempestades graças ao corpo técnico competente, e torce que o Banese continue como banco de fomento. “A ASEOPP deseja que o Banese seja também um banco da construção civil em especial da pequena e da média empresa”, disse agradecendo em nome de todos os associados a disponibilidade da diretoria em ouvir as demandas do setor.
O vice-presidente de Obras Públicas da ASEOPP, Francisco Costa, disse que o Banese não tem muitas complicações e tem 39 anos que trabalha com o banco. Francisco Costa reforçou que todos desejam que o Banese seja também o banco da construção civil como a Caixa faz. O presidente do Banese, Helon destacou que o governo lançou o programa de recuperação da atividade econômica e é desejo do governador que o banco financie a retomada da construção civil. “Nossa meta é que sejamos também o banco da construção civil”, registrou anunciando que na discussão interna, o objetivo é que dificilmente o Banese perca negócios por conta das suas taxas. “E isso já está acontecendo”, disse anunciando que o banco operando nos programas emergenciais do governo federal.
Já Geraldo Majela de Menezes Neto, vice-presidente de Obras Privadas lembrou que o Banese sempre aceitou a antecipação dos recebíveis de faturas e de um tempo para cá não aceita mais. “É importante que o Banese restabeleça junto aso governo do estado e da Prefeitura de Aracaju essa operação neste momento de crise”, disse Majela. O presidente explicou que foi uma precaução que o banco teve para evitar problemas, inclusive com clientes importantes. “Mas temos interesse em operar, ou com antecipação de recebíveis ou outras modalidades, de acordo com a melhor taxa de juros nessa reciprocidade e com celeridade”, disse Helom.
O presidente do Banese informou ainda que estão sendo estudadas internamente diversas soluções nas áreas do crédito imobiliário e da construção civil. Os diretores do Banese responderam ainda diversos questionamentos e demandas técnicas levantadas pelos associados da ASEOPP, na sua maioria, clientes do Banese, que ressaltaram a importância do banco para o fomento da economia sergipana.