Proposta da ASEOPP para incluir capital de giro do FNE para construção civil será analisada pelo Ministério da Integração Nacional

 

Através de uma proposta da Associação Sergipana de Obras Públicas e Privadas – ASEOPP, o Ministério da Integração Nacional – que administra os fundos regionais constitucionais -poderá alterar as diretrizes operacionais para incluir o setor da construção civil,  na linha de crédito para o capital de giro. Hoje todas as áreas são beneficiadas menos a construção civil.

 

O anúncio foi feito pelo superintendente do Banco do Nordeste – BNB, em Sergipe, Antônio César de Santana, na reunião-almoço da ASEOPP desta semana. Com o apoio do presidente da entidade, Luciano Barreto, o líder do governo, deputado federal André Moura, PSC, levará a proposta para apreciação do Ministério da Integração Nacional. Antônio César e Luciano Barreto explicaram para os associados que hoje, a linha de crédito do FNE, é a mais baixa do mercado. “Lamentavelmente todos os segmentos têm acesso, menos a construção civil”, explicou Luciano.

 

O superintendente do BNB lembrou que se a proposta for aprovada e a diretriz operacional for alterada a ASEOPP será destaque em todos os Estados do Nordeste que abrangem o FNE, como também o norte do Espírito Santo e de Minas Gerais. “Por isso que é importante essa parceria em prol do desenvolvimento não só de Sergipe, mas do país. Essa provocação da ASEOPP, o sentido de ampliar o crédito para a construção civil, se aprovada, pode ajudar ainda mais no combate ao desequilíbrio regional, onde um setor está sendo alijado no atendimento do FNE em sua plenitude,” explicou.

 

Construção enxuta -O engenheiro e sócio da Econtínua Engenharia, Jorge Marcelo, apresentou para os associados índices e perspectivas de  redução de custos em uma obra através dos processos da construção enxuta. Ele explicou que é preciso quebrara paradigmas desde a mão de obra, passando pela gestão e diretoria da empresa.